Mundo Pequeno -Perdidos em Berlim

Era feriado da Páscoa. O ano? Talvez 1992 ou 1993… não me lembro exatamente.
Nós de Nancy, a família de um colega da Unicamp e uma outra família da Bahia, que viviam em Montpellier, faziam parte de uma excursão para Berlim.
Naquele tempo sem GPS e nem celular, nos valíamos de uma mapa e do bom-senso para chegarmos a um determinado destino. Nem sempre (ou quase nunca) isso funcionava bem.
Seguíamos em comboio, em três veículos, confiando na pessoa que liderava a excursão. Estávamos nos aproximando da capital. Aí começaram a aparecer as placas indicativas de Berlim Este, Berlim Sul, Berlim Oeste…Qual delas pegar? E onde estaríamos?
O líder dos “perdidos” escolheu uma dessas saídas e de repente chegamos em uma área relativamente calma. Mas, onde estávamos afinal? Só sabíamos que era Berlim!
Nisso, observei uma alemãzinha típica – loira e de olhos azuis, e resolvi arriscar meus limitados conhecimentos de inglês:
– Do you speak English? Arrisquei essa frase de meu parco vocabulário.
E ela: Yes, I do.
E eu: I´m Brazilian
Para minha surpresa, ela me abraçou e disse: Sou casada com um brasileiro.
E minha mulher que estava no carro falou:
– Ei, loirinha, pare de abraçar meu marido!
E eu: Sou de Campinas
E a loirinha me deu um segundo abraço, dizendo: Meu marido também é de Campinas!
E minha mulher, de novo: Ei loirinha aguada, solte meu marido!
Pois é … difícil de acreditar: a primeira pessoa que encontramos em Berlim era casada com um brasileiro! Ô mundo pequeno…