Albergue na Bélgica

Combinamos nos encontrar com uns amigos em um albergue na Bélgica. Nós morávamos bem mais perto do local do que nossos amigos, e chegamos bem cedo no local.
Após descarregar a tralha, e acomodar as crianças, dei uma pequena volta para avaliar as instalações do albergue. Tudo era muito simples e bem organizado. Um ambiente acolhedor.
Começou a entardecer e então chamei meu filho para tomarmos banho. Tirei os óculos e o deixei com a Amélia e então nos dirigimos para onde havia a indicação dos chuveiros.
O chuveiro não tinha porta – apenas uma cortina. Já estava todo ensaboado quando, de repente, num movimento brusco, uma idosa senhora abriu a cortina. Eu, todo ensaboado, nem conseguia ver direito quem estava falando palavras agressivas, possivelmente em flamengo (uma das línguas da Bélgica). Ela falou um montão de coisas – com certeza não estava elogiando meus dotes físicos.
Na hora do jantar, dirigi-me ao refeitório quando, de repente, uma senhora se levantou e apontando-me se dirigiu ao responsável pelo albergue. Pelo tom de sua voz, era uma queixa que apresentava ao proprietário. Fiquei sem saber o que fazer, e esperei a irada senhora se afastar para então tentar dar uma explicação plausível, me baseando na miopia para ter me equivocado na posição dos chuveiros.
O proprietário então me tranquilizou e disse que os chuveiros eram unisexy…bastava não abrir a cortina quando houvesse um ocupante. Esse era o praxe.
Ô veia assanhada…